foto de Carlos Teixeira, Óscar Monteiro, Ricardo de C.Lopo foto de Manuel Louro

HISTORIAL DO

GRÉMIO LITERÁRIO DE LÍNGUA PORTUGUESA

a divider

O Grémio Literário de Língua Portuguesa era sonho de muitos. Do Prof. Dr. José Carlos Teixeira, do poeta Euclides Cavaco (Cambridge), da Dra. Ilda Januário, do Rui Pinto Balsamão, do José G. Gomes (British Columbia), (estas são as pessoas das quais tenho conhecimento directo), e meu. Mas acredito que houvessem muitos mais sonhadores, principalmente das pessoas que se dedicam as letras. Contudo, a pessoa mais veemente de todas que conheci, certamente foi o Prof. Carlos Teixeira. Ele foi acérrimo pregador desse ideal, quer nas conferências em que tomasse parte, nas palestras que fizesse, nas entrevistas que desse, onde quer que fosse possível esse ideal ser ouvido.

Porém os sonhos continuariam sempre utópicos se alguém não tomasse as rédeas dos ideais oníferos e tentasse concretizá-los. Uma vez que ninguém dava esse passo decisivo, achei-me na obrigação e com a responsabilidade de o fazer, para o benefício e enriquecimento da Comunidade Lusófona do Canadá.

Para esse efeito, entrei em contacto com o Dr. Ricardo Bruton de Castro Lopo, pondo-lhe a par do que pretendia fazer e os objectivos que desejava alcançar. O Ricardo, porque era uma pessoa que já tinha experiência e sabia como trabalhava o mecanismo de pôr em pé uma associação de carácter semelhante, pois tinha fundado a Academia do Bacalhau e tinha sido um dos Presidentes da Federação de Empresários Luso Canadianos em Toronto.

O Dr. Ricardo achou a ideia excelente e aderiu logo, trazendo a bordo o Prof. Dr. Manuel Louro, que também se aliou com entusiasmo a essa causa. Logo de seguida incorporamos o Grémio, a 7 de Dezembro de 2004. Entretanto andámos a procurar do Prof. Dr. Carlos Teixeira. Quando o encontramos, ficou jubilante e imediatamente nos deu a sua adesão, tornando-se assim connosco sócio fundador.

Assim, os quatro começámos a elaborar os estatutos. Encontrávamos uma vez por mês, e mês após mês. Assim, passo a passo, a medida que o tempo caminhava, os estatutos iam ganhando forma e corpo.

Porém, fomos acometidos por uma desdita e impedimento. O Prof. Dr. Carlos Teixeira mudou-se para a Universidade de British Columbia. Por este motivo só passamos a reunir os três para trabalhar nos estatutos quando ele vinha a Toronto, o que acontecia apenas durante as férias de Verão, no mês de Julho e Agosto e na quadra natalícia.

Estas foram as razões principais e pungentes pela demora na inauguração do Grémio.

As minhas razões mais preponderantes para pôr o sonho em prática foram as seguintes:

Por isso, por estes motivos imperativos, juntamos os nossos esforços em equipa para criarmos este Património Lusofóno-Canadiano - "Grémio Literário de Língua Portuguesa."

Assim, vencendo aos poucos os contratempos da dificuldades de reunirmos, e depois de um período letérgico e de estagnação, conseguimos finalmente acabar os estatutos e o Grémio ganhou momento e dimensão para caminhar de pés firmes neste nosso chão telúrico. Destarte, a sua inauguração oficial teve lugar no Consulado de Portugal, na Quinta-Feira, dia 26 de Outubro de 2006.

A primeira reunião de sócios teve lugar, também no Consulado Geral de Portugal, na Sexta-feira, dia 24 de Novembro de 2006. Na acta consta o que foi abordado e decidido nessa reunião.

Por causa da quadra natalícia, não se realizou reunião em Dezembro e a próxima está marcada para a Sexta-feira, dia 26 de Janeiro de 2007.

Dr. Óscar Monteiro
Presidente do Grémio Literário de Língua Portuguesa
Toronto, Terça-feira, 16 de Janeiro de 2007

Top