BREVE BIOGRAFIA DOS FUNDADORES
DO
GRÉMIO LITERÁRIO DE LÍNGUA PORTUGUESA

a divider

Foto de Oscar Monteiro

ÓSCAR FRANCISCO CONCEIÇÃO MONTEIRO nasceu em Pangim, Goa, e viveu a maior parte da sua infância e adolescência em Lourenço Marques, Moçambique, onde completou o curso dos Liceus (hoje grau 12 das Escolas Secundárias). Em seguinda estudou na Universidade de Lourenço Marques.

Um ano antes do 25 de Abril mudou-se para Lisboa, onde continuou os seus estudos universitários. Em Portugal, casou-se com Rosamaria Monteiro, natural de Lisboa. Mais tarde, em busca do além, rumou com a esposa, para o Canadá, onde agora radica e labuta.

Ávido e curioso por conhecer e saber, completou os seus estudos universitários na Universidade de York, em Toronto, obtendo a licenciatura em Psicologia (B.A. honours degree - HONOURS THESIS: Imagery Vividness Ratings and Memory for a Common Object, Course Director and Supervisor - Prof. Ron Okada). Tirou ainda a licenciatura de Professor do Ensino Secundário na Universidade de Toronto (B.Ed. - OISE), nas disciplinas de Português e Economia. É membro do Colégio de Professores de Ontário (Ontario Teachers' College).

Trabalhou como editor da revista mensal "News & Views" dedicada aos empregados do Departamento de Electrónica da empresa automóvel da FORD. Desejoso de transmitir os conhecimentos aos mais novos, há mais de 30 anos que ensina a Língua e Cultura Portuguesas a jovens e adultos. Assim, foi docente de várias Direcções Escolares de Toronto (School Boards of Education), nomeadamente de Toronto District School Board, Toronto Catholic District School Board, Durham Catholic District School Board e Halton Catholic District School Board e "First Portuguese Canadian Cultural Centre."

É actualmente Director da Escola "PORTUGUESE STUDIES & SKILLS ACADEMY INC."  que funciona com o nome de Escola Portuguesa "A Caminho do Saber", (www.portugueseclasses.2ya.com) que tem raízes na Escola Portuguesa "A Magia das Palavras" da saudosa Professora e Directora Judite Ondarra.

É também autor. Como tal, deu já expressão ao seu pensamento através de poemas publicados nos livros "DA POESIA" - Antologia de Poesia Portuguesa Contemporânea (Vol. VII, Edição Editorial Minerva, Junho de 1997, Lisboa, Portugal) e "Portugal e a Saudade em Verso" (Peregrinação Publications, 2000, Rumford, Rhode Island, USA). Semanalmente colaborou no semanário de Toronto "Sol Português".  Publicou a revista "A Nossa Escola" para a Escola do "First Portuguese Canadian Cultural Club" e ainda outras para a  Escola Portuguesa "A Caminho do Saber", de Toronto. Colaborou nas revistas da Casa dos Açores, durante as semanas culturais (1999 e 2001), e na revista do 45 aniversário da fundacção da Associacço "First Portuguese C. C. Centre", (2001).  Alguns dos seus poemas foram lidos nos Clubes e Associações Portuguesas e não só.

Entre as suas publicações como autor único, consta o livro "NAS ASAS DA PALAVRA" a venda nas livrarias de Toronto e em Portugal (lista das livrarias no website www.portugueseclasses.2ya.com ). Podem ler também as apresentações/críticas ao livro no mesmo portal.

A sua grande paixão pela música fê-lo abraçar muito cedo à guitarra, e a tocar em agrupamentos musicais em Lourenço Marques e Tete (Moçambique). No Conjunto Académico - teclado, no Conjunto Cabora Bassa - guitarra, no Conjunto Universitário - guitarra. Em Toronto no Conjunto Zip-Zip - guitarra-baixo. Entrelaçada entre os acordes e trinados, vivia a poesia que circulava efervesscente nas suas veias de musicófilo. Como prolífero leitor e amante da poesia passou a escrever poemas e a compor música e destarte nos transmitir a sua paixão pela Língua de Camões.

Assim, agora debruça-se também, concomitantemente entre as outras tarefas, a escrever letras e compôr músicas. Algumas já foram gravadas em CDs por artistas da comunidade como Mara Tavares, Michelle Tavares, Paula Alexandre, Steve Vieira, Catarine Marie (Mika) e Nicole Santos, Jennifer Abadesso, Sthefanie Pais e Sara Ferreira, entre outros.

Foi um dos fundadores do Grémio Literário de Língua Portuguesa e o seu primeiro Presidente. Também foi o primeiro Presidente do Senado desse mesmo Grémio Literário. Foi ainda o criador dos portais do Grémio Literário (http://www.gremioliterario.ca) e do Orfeão Stella Maris de Toronto (http://stellamaris.ca).



Biografia do Dr. Óscar Monteiro

Através do olhar aquilino da Professora Dra. EMÍLIA JR. DE OLIVEIRA  durante da apresentação do seu livro "Nas Asas da Palavra", no Consulado de Portugal em Toronto, no dia 17 de Fevereiro de 2005.

É dificílimo, nos dias que correm, arranjar tempo para o que necessitamos fazer. A família e os amigos queixam-se e, em silêncio muitas vezes, nós queixamo-nos a nós próprios porque nos apercebemos desta realidade. É uma vida "supersónica" e apenas assim porque ainda ninguém inventou uma palavra para a velocidade superior a luz... de que eu tenha conhecimento... será para a geração dos nossos filhos, quiça, mas, não muito mais tarde, creio.

 E neste rodopiar constante, perde-se o tempo para outros aspectos preciosos da vida : a Reflexão, a introspecção, a contemplação e a apreciação do SILÊNCIO.

É pois de admirar aqueles que ainda conseguem roubar algumas horas ao tão escasso tempo de sono para poderem saborear e sentir as vozes a que apenas o silêncio pode proporcionar.

O Óscar Monteiro é uma dessas pessoas.

Nascido em Pangim, Goa, estudou em Moçambique onde completou o primeiro ano da Universidade e em 1974 foi para Portugal onde em 1977 casou com a tão celebrada Rosa Maria dos seus sonetos. Mais tarde veio para o Canadá onde completou os estudos em Psicologia na Universidade de York. Algum tempo depois obteve a Licenciatura de Educação na Universidade de Toronto.

Trabalhou em escritorios de advogados durante algum tempo e depois para a Ford Electronics onde durante alguns anos exerceu o cargo de editor da revista "News and Views". Simultaneamente, ao cair da tarde, juntava, e continua a juntar-se, ao grupo de professores que se dedicam ao leccionamento da Língua e Cultura Portuguesa aos filhos de emigrantes da nossa comunidade. Durante muitos anos trabalhou para a escola do First e, hoje é director da Escola Portuguesa "A Caminho do Saber".

Não é tarefa fácil! E... não se fica por aqui !
Pois quem conhece o Óscar de perto sabe que ele tem um dom muito especial para a música e que toca piano e guitarra com uma sensibilidade extraordinária ! Assim faz sentido que esta sensibilidade se transferisse para o sonho e para o papel. Esta evolução é natural e ao mesmo tempo a concretização dos sentimentos que, principalmente nos seus poemas dedicados a Moçambique e aos Açores, está bem patente.
 
É facílimo "ouvir" a música do marulhar das ondas nas praias, de apreciar os aromas e perfumes e de "ver" os verdes e os azuis ao ler as suas homenagens as ilhas dos Açores...

A sua poesia esta repleta de efeitos cinestésicos que nos transportam para bem longe, para os lugares protegidos da sua infância e juventude, em que homenageia os pais pela delicadeza e coragem; para os "desvios" que teve de tomar a fim de tentar sacear a sua curiosidade, até chegar ao país que o recolheu, "onde vive numa região entre dois mundos : entre o mundo longínquo onde está mas não reside e o mundo onde reside...mas não está". Esta imagem, por qualquer razão, é-me muito familiar...

É aqui que ele da "asas" ao seu sonho, "a sua palavra guiada e protegida" pela sua musa e Criação: a "Citoleia ". Creio ser este o inicio duma "Mitologia Oscariana ", se me permitem, que ainda está em embrião mas já consciente nos seus poemas.

No preâmbulo desta sua segunda obra, o autor filosofa sobre o que é poesia. E, se bem que o Óscar constantemente se refer, e com successo, através de toda a sua obra aos clássicos da literatura e filosofia, eu vou referir-me a dois nossos contemporâneos.

Carlos Paião disse que "para ser poeta era necessário ser-se sofredor" e José Cid, num dos seus poemas refer que não se pode ser poeta sem se ter poesia. O Óscar define a poesia como uma forma de arte, que dá significado a existência humana e por conseguinte uma necessidade humana fundamental. Assim sendo, usando as palavras do autor, todos temos "necessidade de passar pela experiência e explorar a sua existência com "significado". Como tal, senhores e senhoras, de uma forma ou outra, todos somos poetas ou poetisas que na maioria, creio, ainda não deu "asas as suas palavras".

Mas, ser poeta é tambem ser pintor de telas cujas palavras são tintas em que cada leitor, imagina e vê o quadro a sua maneira; é ser-se sofredor, senão não se consegue ter a sensibilidade necessária de experimentar e explorar a existência e, de igual modo, é necessário ter-se poesia...a fim de poder transmitir todo o empirismo dessa mesma existência.

Mas, na minha opinião, ser-se poeta é ser-se corajoso pois, compartilhar com o mundo o que nos vai na alma não é tarefa fácil ! Porque o que temos para dizer não só nos desvenda os sentimentos e experiências mais íntimas, fazendo de nós alvo certo de jocosos sem escrúpulos, como também expõe as nossas opiniões mais delicadas e de fácil interpretação errada, ao sabor de uma maré tempestuosa, como no seu soneto MARIOLATRIA : uma verdadeira crítica aos pseudo-religiosos. E o Óscar vai ainda mais longe ao divagar e trabalhar (porque escrever é TRABALHO) noutras línguas que não a nossa como o Inglês e o francês.

Entre quadras e sonetos, com uma riqueza de linguagem rebuscada e erudita, clássica e moderna, com conhecimentos histórico-literários, de mitologia clássica e de ditados populares, e o cuidadoso uso de figuras de estilo que são, indubitavelmente, uma dádiva preciosa ao leitor, o Óscar apresenta-nos amigos, colegas e família que, de uma forma ou outra, o tocaram, tal como na sua homenagem a colega e amiga, D. Margarida, sua "sereia açoreana" ou a sua saudosa falecida irmã Alzira.

Transporta-nos assim, num vaivem cultural entre um passado bem longínquo e um presente teimoso em passar, dentro de uma "nuvem psicológica de sonho e realidade" !

"Será fantasia ou realidade próxima?
Que importa ?
No reino da poesia, no cosmo do vocábulo, tudo, - o impossível - se torna possível - nas asas da palavra.
Por isso, quando o homem perde o contacto com a poesia, ele perde a sua alma.".

Gostaria de convosco compartilhar dois sonetos. Um aborda o tema do sonho (A CHAMA QUE NOS CHAMA!). O outro é uma chamada a nós próprios (CONHECE-TE A TI PRÓPRIO).

A CHAMA QUE NOS CHAMA!

É sempre estimulante alto sonhar!
Mesmo que alguém nos diga que não,
Que nos queira desapontar e magoar.
Sonhar, e alto, é nunca tempo em vão!

O Sonho, a semente latente da acção,
É a chama com que a vida nos chama!
Quem por ele alto e lauto não clama,
Tem alma insípida, não tem ambição.

O que cresce na galeria grandiosa
Do mundo são sonhos, que suponho
Fez magotes de gente ficar famosa.

Por morrer o sonhador não morre o Sonho,
Nem da primavera a flora verde e viçosa,
O Sonho é a "lei mental" do fruto risonho.

(In "Nas Asas da Palavra" - Editorial Minerva, Lisboa)


CONHECE-TE A TI PRÓPRIO

Já muito, muito longe o homem chegou!
Desbravou as terras perto da sua cabana,
E as que ficavam p'ra além da Taprobana,
Com as frágeis caravelas com que viajou.

E para mais além sua curiosidade o ateou!
Após cruzar os mares da região africana,
Sem muito lhe permitir a sua asa humana,
No vasto oceano do espaço se aventurou.

Agora com o universo todo já descoberto,
Tem o homem que navegar por mais perto,
E descobrir o que vai dentro de si mesmo.

Ou então não viverá por não saber quem é;
E não sendo, não poderá suster-se em pé,
E tudo desabará por ter viajado a esmo...

(In "Nas Asas da Palavra" - Editorial Minerva, Lisboa)

a divider

Foto de Ricardo de Castro Lopo

RICARDO DE CASTRO LOPO - Nasceu em Lourenço Marques, Moçambique. O pai era Português e a mãe Inglesa.

Ricardo foi residir para a África do Sul quando tinha 15 anos de idade. Aí, para alem de ter aprendido a tocar piano clássico e a compôr  (participou em algumas competições musicais), fez os seus estudos Universitários tendo obtido licenciatura [B. Comm.(Hons) degree] em Gestão Financeira de Empresas, na Universidade de Natal de África do Sul, e mais tarde outra licenciatura (MIAC degree) do Instituto de Administração e Comércio da África do Sul.
 
Mudou-se para o Canadá em 1993, onde completou os estudos requeridos pelo Canadian Securities Institute, and the Financial Services Commission of Ontario.

Hoje é Conselheiro Financeiro profissional da Canaccord Capital Corporation em Toronto.

Foi o fundador e o primeiro Presidente da Academia do Bacalhau de Toronto, e um dos anteriores Presidentes da FPCBP (1998).  Ricardo tem tido um vasto envolvimento em clubes e organizações profissional, filantrópicas e desportista.

Actualmente é o co-fundador e 1°. Vice-Presidente do "Grémio Literário de Língua Portuguesa" do Canadá.


a divider

Foto de Manuel Alves Louro

MANUEL ALVES LOURO estudou em Portugal onde se licenciou em Filosofia antes de ter vindo ao Canadá.

Durante 5 anos leccionou as cadeiras de Filosofia, Ética e Música nas Universidades de Portugal.

Em Portugal também foi Director de um Grupo Coral com um vasto reportório de  música clássica e popular.

Em 1965 completou o Mestrado em Filosofia na Universidade de Montreal, em Quebec.

Em 1976 completou o Mestrado em Teologia (tipo A) na Universidade de Laval, em Quebec, e entre 1974 e 1978, completou a "escolaridade" para o Doutoramento em Filosofia na Universidade de Laval, em Quebec.

No Canadá, o Prof. Manuel Louro ensinou a disciplina do Direito de Propriedade na Universidade de Laval em Quebec por 20 anos.

Para além das suas realizações na esfera académica e profissional, o Prof. Manuel Louro publicou também 5 manuais de Filosofia em Francês, trabalhou como tradutor e intérprete para o Governo da Província de Quebec por 12 anos, e foi escritor colaborador em 2 jornais de Portugal. Mais recentemente publicou em Portugal um livro com 350 páginas com muitos artigos endereçando temas sociais, éticos e filosóficos. Traduziu ainda para a Igreja Católica documentos de significância histórica, antes de ter sofrido um ataque de coração.

Tendo-se mudado para Toronto, entre 1998 e 1999, o Prof. Dr. Manuel Louro foi o Director das Artes e Cultura da Academia do Bacalhau de Toronto durante a presidência do fundador da Academia, Ricardo de Castro Lopo.

Mais recentemente, o Prof. Manuel Louro foi Secretário do Grémio Literário de Língua Portuguesa (Portuguese Language Writers of Canada) e um dos co-fundadores com Óscar Monteiro, Ricardo de Castro Lopo e José Carlos Teixeira.


a divider
Foto de Jose Carlos Teixeira

JOSÉ CARLOS TEIXEIRA - Nasceu na Ribeira Grande, São Miguel , Açores.
 
Estudou em Montreal - Universite du Quebec a Montreal (BSc. e M.Sc.) (Thesis title: La Mobilité Résidentielle Intra-Urbaine des Portugais de Première Géneration à Montréal, Université du Québec à Montréal).  Fez Ph.D. na York University (Thesis title: The Role of "Ethnic" Sources of Information in the Relocation Decision - Making Process: A Case Study of the Portuguese In Mississauga).

Deu aulas no departamento de geografia da Universidade de Toronto (6 anos) e presentemente dá aulas na University of British Columbia - Okanagan Campus.
 
De entre os "awards" que recebeu (dentro e fora do meio académico) destaca-se a Ordem do Infante D. Henrrique que lhe foi galardoada em 2005.

Como escritor destam-se muitas das suas obras e capítulos em livros em que é autor e co-autor (ver Escritores Lusófonos)

Além disso publicou nos seguintes jornais:

Canadian Ethnic Studies , XXXVIII (3): 1-29; Espaces-Populations-Societes, 1: 121-135; Housing Studies (Accepted, December 2006). Environment and Planning C (Accepted, November, 2005);  International Journal of the Humanities, 2 (1): 305-311; Portuguese Studies Review, 11(2): 1-23: Gávea-Brown , XXII-XXIII: 5-28;  Urban Studies, 38(11): 2055-2078: The Canadian Geographer, 41(3): 267-281; Urban Geography, 18(6): 497-520; Arquipélago - Ciências Sociais  (University of Azores), 9-10: 217-237; The Professional Geographer, 47(2): 176-183.

Outros dos seus trabalhos (Pesquisas, Relatórios/Monografias e Bibliografias) são:

LO, Lucia, Carlos Teixeira and Marie Truelove (2004). Cultural Resources, Ethnic Strategies and Immigrant Entrepreneurship: A Comparative Study of Five Immigrant Groups in the Toronto CMA,  Policy Matters,  CERIS No 2 (January 2004) (6 Pages).

TEIXEIRA, Carlos (2003). A Presença Portuguesa no Canadá: Uma Perspectiva de Cinco Décadas [The Portuguese Presence in Canada: An Overview of Five Decades], Ponta Delgada, Azores: City Hall of Ribeira Grande (39 Pages).

LO, Lucia, Carlos Teixeira and Marie Truelove (2002). Cultural Resources, Ethnic Strategies and Immigrant Entrepreneurship: A Comparative Study of Five Ethnic Groups in the Toronto CMA,  Toronto: CERIS - Joint Centre of Excellence for Research on Immigration and Settlement - Toronto, Working Paper Series (94 pages).

TEIXEIRA, Carlos (2002). Black Entrepreneurship in Toronto, Toronto: Black Pages Publications, Research Paper (31 pages).

MURDIE, R. A. and Carlos Teixeira (2000). Towards a Comfortable Neighbourhood and Housing: Immigrant Experiences in Toronto,  Toronto: CERIS - Joint Centre of Excellence for Research on Immigration and Settlement - Toronto, Working Paper Series (75 pages).

TEIXEIRA, Carlos and Gilles Lavigne (1992).  The Portuguese in Canada:  A Bibliography/Les Portugais au Canada: Une Bibliographie, North York: Institute for Social Research, York University, Research Paper (79 pages).

Através dos anos tem vindo ainda a dar dezenas de conferências no Canadá e no estrangeiro (meio académico) e  participado em muitas "Semanas Culturais" realizadas nas nossas comunidades, Jantares de Angariação de Fundos, Aniversários de Clubes Portugueses como orador e outros encontros e exposições.......etc.

Foi um dos Presidentes da FPCBP e actualmente é o 2°. Vice-Presidente do Grémio Literário de Língua Portuguesa que ajudou a co-fundar.

Top